Maya Weishof

Curitiba | Brasil

Maya Weishof nasceu em 1993, Curitiba - PR. 


Desenvolve sua prática em pintura como possibilidade visual a partir do interesse na figuração.
Utiliza fragmentos, distorções, caricaturas e seres híbridos quando cria imagens. Assume o desenho como cerne do trabalho e o constrói a partir de memórias, mitos, cenas que dialogam com a história da arte ou, mais especificamente, com a história das imagens. A obra, mesmo que aponte para uma figuração, tenta escapar do estabelecimento de uma narrativa linear ou fechada em si mesma. Graduada em Artes Visuais pela Universidade Federal do Paraná - UFPR em 2016, foi selecionada para o programa de residência artística da Zaratan Arte Contemporânea em Lisboa, Portugal e também selecionada para o edital Novas Poéticas que contemplava estudantes de artes visuais de todo o Brasil. Em 2017, integrou com três trabalhos a exposição A Vastidão dos Mapas no MON (Museu Oscar Niemeyer) com curadoria de Agnaldo Farias. No mesmo ano, participou do grupo de investigações práticas em pintura sob orientação de Regina Parra e Rodolpho Parigi em São Paulo e também do Núcleo de Artes Visuais SESI sob orientação de Ricardo Basbaum. Em 2018, inaugura sua primeira individual em São Paulo na Zipper Galeria com curadoria de Nathalia Lavigne. No segundo semestre de 2018, participa do projeto expositivo Confluências Poéticas do SESC Paço da Liberdade em Curitiba junto de outros três artistas proeminentes na cena artística local. Em 2019, é
selecionada para o programa de residência artística Pivô Arte e Pesquisa em São Paulo e integra a coletiva Estamos Aqui!, com curadoria de Ana Rocha no MAC (Museu de Arte Contemporânea do Paraná) em Curitiba. No segundo semestre de 2019, Maya é convidada pela Cisterna Galeria em Lisboa para participar do programa de residência artística C-Lab e também realiza a individual Os Substitutos na Boiler Galeria em Curitiba.

Quando ainda não era todo o peso, 2019

Óleo sobre linho 202 x 127 cm

Espero que você ande, 2019

Óleo sobre linho 188 x 147 cm

Como sempre, às mulheres, de um lado lhes chove, do outro lhes faz vento, 2019

Óleo sobre linho 188 x 147 cm

O menino mais triste, 2019

Óleo sobre linho 100 x 70 cm